Colaboradores Stéfany Caldas

Você é um emocionado na hora de conhecer alguém?

Foto: cottonbro / Pexels

Por Stéfany Caldas – 02/12/2021

“Ninguém quer ser o emocionado da relação, né”? A frase foi dita num encontro descontraído, entre amigos que se reuniam próximos a mim, enquanto fazia a minha refeição. O assunto “emocionado” não é exclusivo da mesa nem é novidade nas rodas de conversa entre pessoas solteiras, que, cada vez mais, preocupam-se com seus comportamentos diante de relacionamentos.

Se você ainda não consegue compreender do que se trata, vai um resumo: ser emocionado, ou agir como um, significa se comportar com excesso de afeto diante de alguém em início de relação, ou com quem, embora conheça-se há algum tempo, não se tem uma relação sólida ou definida. “É como aquela vez em que mandei um beijo, ao final da ligação, para o vendedor de cartão”, disse a moça que zoava o amigo na mesa ao lado.

De acordo com a youtuber Dora Figueiredo, a expressão tem a ver com “aquela pessoa que sofre, e que faz tudo pela pessoa amada, não recebe nem um terço de retorno, e continua ali, buscando a humilhação”. As definições na internet são inúmeras, assim como a quantidade de conteúdos que prometem ajudar nas regras do que chamam “tratar ficante como ficante”.

Porém, há quem discorde da definição. Para muitos, o que é a descrição de emocionado, trata-se apenas de “ser alguém bem resolvido com suas trocas afetivas”. Esse agir com delicadeza e atenção, independeria de elevar a relação para um novo “status” de compromisso sério e duradouro, e poderia aparecer aqui e ali, em atitudes do dia a dia, como prestar atenção em gostos e manias, mandar mensagens no meio do dia ao avistar algo que lembre a pessoa, e, principalmente, não ter receio de expressar carinho.

Em entrevista ao portal UOL, as especialistas em relacionamento Luiza Vono e Sandra Baldacci afirmam que “reconhecer as próprias vontades e não se abster de demonstrar afeto podem ser uma saída madura para saber como se relacionar”.

Assim, muito mais do que seguir guias na internet, se sentir inseguro sobre quem está com você ou sobre como suas atitudes serão percebidas e avaliadas, o ideal é mesmo procurar antes compreender como você se sente e como gostaria de ser tratado. Ser emocionado, reservado, carinhoso ou contido… o importante é se conhecer, se tratar bem, e, aí sim, compartilhar tudo isso com alguém que também se respeita e vai respeitar o teu jeito!

***

.

Stéfany é jornalista formada pela Universidade Federal de Alagoas. Possui especialização em Assessoria de Comunicação e Marketing, realizou cursos em Marketing de Conteúdo e Copywriting.
Gosta de escrever para se comunicar consigo e com o mundo, e aprendeu que a escrita, para ser ponte, precisa ter afeto.
Aqui fala de cultura, comportamento, relacionamentos, e tudo o que envolve gente!

%d blogueiros gostam disto: