Colaboradores Isabella Ingra

Três poemas em busca da tal salvação, de Isabella Ingra

Foto: Clarence Alford / Pixabay

Por Isabella Ingra – 09/07/2021

construção

não era o que eu construía de novo
nem as roupas novas que conseguia comprar de vez em quando
não era a casa nova, nem os móveis diferentes
era o que eu destruía de tão velho.

*

como se

o país do futebol e carnaval
nunca foi o país do futebol e carnaval
os condomínios de luxo nunca
se ergueram por muito trabalho
os ditadores nunca clamaram em nome do diabo
as desculpas nunca foram pedidas
os privilegiados nunca foram cancelados
o final de semana nunca foi um alívio de verdade
os ditos santos passeiam nos zoológicos de dia e se enfiam nas suas neuroses de noite
os perdedores de verdade nunca aceitaram o placar
as chacinas nunca foram esclarecidas
e os calados nunca foram mudos.

*

match

amor
apresente-se
mas não diga seu nome
nem sua idade
me mostre o que você teme

amor
apresente-se
mas não seja sempre o mesmo
e não se mude para sempre

amor
apresente-se
mas não me engula de uma vez
me experimente

amor
apresente-se
diga com quem andas
e lhe direi como se sente

amor
apresente-se
mas não se ausente na hora da luta
nem desapareça com o prazer quando tudo for cotidiano

amor
apresente-se
mas não tente evitar minha loucura
nem nos entregue aos acostumados.

***

.

Isabella Ingra (1993) é poeta, escrivinhadora de palavras, atriz quando convém, mãe e feminista. Nascida em Brasília e no mundo todo.

%d blogueiros gostam disto: