lide liquido

Eduardo Machado homenageia o músico e compositor gaúcho Alegre Corrêa em seu novo álbum

Arte da Capa: Ana Laura Alvarenga / Divulgação

Disponível nas plataformas de streaming, o disco ‘Eduardo Machado toca Alegre’ dá uma amostra da diversidade e o ecletismo da música instrumental brasileira, com maracatu, baião, samba, bossa nova, latin jazz e muito mais.

Eduardo Machado toca Alegre‘ é novo trabalho do compositor e baixista Eduardo Machado. Lançado em maio e disponível nas plataformas de streaming, no 9º disco de sua carreira ele rende homenagem ao músico e compositor gaúcho Alegre Corrêa.

O álbum apresenta nove faixas e reúne um repertório eclético de música instrumental brasileira: Chamamé e pela chacarera, ritmos de origem argentina presentes no Sul do Brasil, influenciam os acordes, batuques e efeitos sonoros, em um jogo dinâmico e extremamente melódico, com hibridismo de estilos como maracatu, baião, samba, bossa nova e latin jazz.

Participam do álbum o baterista carioca Márcio Bahia, Jota P (sax tenor/soprano/flauta) e Gil Reis (teclado). ‘Eduardo Machado toca Alegre’ também conta com participação especial de Gabriel Grossi (harmônica), do percussionista Marquinho Sabino e do próprio homenageado.

Eduardo Machado destaca que a obra de Alegre Corrêa deveria ser muito mais reconhecida: “O Alegre tem uma obra fantástica e deveria ser muito mais reconhecido pelo que é e o que representa para a música brasileira. Seu som é diferente, com melodia simples e ao mesmo tempo sofisticada, muito difícil de se fazer”, conta.

O álbum mostra diversas fases da trajetória de Alegre e apresenta duas faixas inéditas: “Toca Alegre”, composta em parceria com Eduardo, especialmente para a obra, e a canção “Brotou uma Canção”, composta por Alegre, Paulinho Pedra Azul e Cristóvão Bastos, e gravada com a participação do homenageado, mostrando uma nova faceta, como cantor.

“Tive o prazer de compor com esses novos parceiros, Cristóvão Bastos é simplesmente um dos maiores compositores do nosso país, e participar cantando. Sempre gostei de cantar, na verdade fui primeiro cantor antes do que qualquer outra coisa, e todos os meus temas, as melodias, sempre fiz com a voz”, revela Alegre.

Foto: Maristela Francisconi

Eduardo Machado

Formado pelo Conservatório de Tatuí (SP), Eduardo Machado expressa em seu instrumento destreza e versatilidade, características preservadas nos seus 32 anos de carreira, como músico e professor. Sua discografia é composta por 9 CDs e 2 DVDs, com destaque para quatro turnês internacionais, com apresentações em diversos países da Europa, Ásia, América do Norte e América Latina, e premiação no concurso “Novos Talentos do Jazz” (Savassi Festival, Belo Horizonte/MG, 2009).

Já participou de shows e gravações com grandes nomes da música brasileira e internacional como Zeca Baleiro, Roberto Menescal, Toquinho, Renato Teixeira, Sérgio Reis, Jair Rodrigues, Sandra de Sá, Paula Lima, Margareth Menezes, Dinho Ouro Preto, Luiz Caldas, Zé Geraldo, Diego Figueiredo, Larry Coryell, Arthur Maia, Hamilton de Holanda, Robertinho Silva, Toninho Ferragutti, Victor Biglione, Toninho Horta, Celso Pixinga, Gabriel Grossi, Edu Ribeiro, Marku Ribas, Carlos Bala, Derico, entre outros.

O homenageado

Alegre Corrêa, de Passo Fundo (RS), é músico autodidata, com 40 anos de carreira. Iniciou sua trajetória em bandas de baile, mas logo passou a se dedicar à composição. Em 1988, mudou-se para a Áustria, onde consolidou sua carreira tocando com orquestras e grandes músicos da World Music, dentre eles Joe Zawinul.

Ao longo de sua trajetória, gravou 13 álbuns solo como compositor, arranjador e instrumentista, e ganhou vários prêmios, sendo os mais importantes: “CD do ano” (Hanskoller Prize – Áustria 2002), “Músico do Ano” (Hanskoller Prize – Áustria 2003) e, com o grupo de Joe Zawinul, o “Grammy Awards” (EUA 2009).

“Não tenho palavras para agradecer. Essa homenagem, em vida, significa um respeito muito grande pela minha música e pelo meu trabalho, ainda mais sendo do Eduardo, que tem um nível alto de música. Não tem como explicar a sensação de trabalho cumprido, de sentir que sempre estive no caminho certo”, diz Alegre Corrêa, que participa do disco como cantor.

Os músicos Marquinho Sabino, Gil Reis, Márcio Bahia, Eduardo Machado, Gabriel Grossi e Jota P (da esquerda p/ direita) durante a gravação do CD. Foto: Maristela Francisconi

FICHA TÉCNICA

Eduardo Machado: baixo
Jota P: flauta, sax tenor e soprano
Gil Reis: teclado
Márcio Bahia: bateria

Participações especiais

Gabriel Grossi: harmônica
Alegre Corrêa: vocal
Marquinho Sabino: percussão
Captação de áudio: Tarcísio Mesquita e Luciano Panice
Mixagem áudio: André Bolela e Eduardo Machado
Masterização áudio: Vitor Hirtsch
Arte da Capa: Ana Laura Alvarenga
Gravação: TM Estúdio (Franca/SP)

FAIXAS

01- Trapézio (Alegre Corrêa)
02- Abertura (Alegre Corrêa)
03- Labirinto (Alegre Corrêa)
04- Bachião (Alegre Corrêa)
05- Toca Alegre (Alegre Corrêa e Eduardo Machado)
06- Encontro das Águas (Alegre Corrêa)
07- Pescador (Alegre Corrêa)
08- Sete de Copas (Alegre Corrêa)
09- Brotou uma Canção (Alegre Corrêa, Paulinho Pedra Azul e Cristóvão Bastos)

%d blogueiros gostam disto: