Colaboradores Hellen Araújo

Diário de uma professora inxamosa

Ilustração: Rodrigo Barbosa

Por Hellen Araújo – 12/04/2021

Antes de ser professora vivia com uma leve impressão que estava escapando de ser engolida pelo furacão que era minha vida, agora tenho certeza. Nada é tão ruim que não possa piorar na existência de um professor brasileiro. Eu enxergava a escola como um barco encalhado que não se mexia para nada. BOOM! Eis que chega essa maldita pandemia. A princípio achava que seria uma tempestade leve, onde acreditava não ter forças para criar ondas que pudessem mover essa embarcação. Dei com minha cara no chão. Essa tempestade me jogou para fora do meu barco. Socorro! Socorro! Professora ao mar.

Quando já estava desistindo de lutar contra as ondas, e aceitando o meu afogamento, recebi uma mensagem no final da noite de um antigo aluno. Como sou muito curiosa, dei mais um suspiro de vida para ler. Ele dizia: “Oi Hellen!!! Gostariam que você soubesse!!!!! Eu tirei 920 na redação do Enem, meu muito obrigado pelo o incentivo tanto profissional e pessoal… thank you😚😚😚🌹”. Droga! Merda! Caralho! Como ousa interromper meu afogamento com essa notícia?

Para ler essa mensagem tive que ficar equilibrada em um pedaço que sobrou do barco. Não será hoje que vou ser engolida por essas ondas. Não acredito! Maldita curiosidade, me deixou VIVA! Já poderia estar afogada agora.Será que iria para o céu? Acho que sim,né? Como professora já paguei todos os meus pecados nesta vida. Eu acho!Será? Né possível? Enfim, amanhã talvez eu pule no mar, não sei. Fiquei confusa agora, será que ainda não paguei todos os meus pecados?

***

Hellen Araújo é escritora, professora de Sociologia pela Secretária de Estado da Educação (SEDUC-AL), Mestra em Antropologia Social e Licenciada em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Alagoas. Pesquisa sobre raça, gênero e beleza tendo como metodologia a autoetnografia, ou seja, suas vivências são fontes principais de análise.

%d blogueiros gostam disto: