Alpendre poesia

Dois poemas de Leonardo Bachiega

Imagem de StockSnap por Pixabay

disse

poema prometido a Eugenio Montale

nós fizemos o melhor de nossos
esforços para piorar o mundo
*
com uma espécie de folhagem
a trazer buços à terra

outra forma de dizer querido
seria frouxa a toda esta maldade
como qual deita a certa miséria

estendida em cada terceira linha
nossa maneira tanto apontamos nós

*Sampler de um trecho do poema (cobri de alpiste a sacada) de Eugenio Montale.

renúncia

o papel só conhece nossos barcos
depois de longa travessia
o eterno peito é um nenhum lugar que comporta
a arriscar antigas embarcações
e procurar em outras terras as especiarias e o ouro
que pequeno guardanapo cintilava um coração
este que não soube entender aquele imenso mapa
estendido como um corpo
apenas insistia em virar o leme na direção
onde pombos ensinam a solidão…

***

.

Leonardo Bachiega é arquiteto, urbanista, poeta e dramaturgo, nascido em São Paulo, hoje reside próximo à capital paulista. É autor de alguns livros de poesia e um dramaturgia e possui poemas publicados em diversas revistas literárias do Brasil e Portugal. Os poemas desta leva, estão no livro Solfejo de Cores, publicado em 2021.
Fernando Pessoa é seu poeta da vida.

%d blogueiros gostam disto: