Coluna Romero Venâncio

Um Fundamentalismo Miserável. Nota

Imagem: TBS News/Reprodução

Por Romero Venâncio – 18/08/2020

Pra começo de prosa, a síntese da tragédia inclemente: Uma menina que foi estuprada pelo marido da tia desde os 6 anos de idade e engravida aos 10!!!!!!!! A mãe está morta. O pai na cadeia. O “tio” estuprador foragido… A justiça (sempre limitada e tardia desse país em transe) faz o certo, o óbvio: determina a interrupção da gravidez absurda… O hospital se nega a fazer o aborto legal e que estava de acordo com o código penal. Mesmo assim, o hospital da cidade se nega. Num trajeto cruel, ela (a menina estuprada) e a vó vão a uma outra cidade para o atendimento necessário e legal.

E aqui nos aparece os supostos “falastrões em nome do deus” para defender o que eles entendem por “vida” (em abstrato, como sempre nesse brasil-laboratório da crueldade social). Se dizem católicos. Um hospital do Recife fica cheio em sua porta desses religiosos em protesto. Os mais exaltados querem invadir o hospital.

O zelo dessa gente por ideias absurdas, lunáticas e covardes chega as raias do delírio. Esse é um retrato de um brasil apequenado, tolo, medíocre e pobre em sua espiritualidade. Digo pobre espiritualmente, porque não quero reduzir essa turba de idiotas que se passam por católicos quando sei que nessa mesma igreja católica tem um Pe. Julio Lancellotti que merece todo nosso respeito. Um padre honrado, justo e defensor da causa dos pobres e oprimidos.

Essa mesma igreja teve um Dom Pedro Casaldáliga. E essa mesma Igreja tem uma teóloga feminista como a freira Ivone Gebara.

Não me sinto no direito de generalizar indevidamente e irresponsavelmente. Nunca querem saber esses religiosos fundamentalistas o que, de fato, tá em questão: uma menina de 10 anos estuprada, pobre, sem mãe, sem pai… com quase nada na vida. Uma menina que precisará de um “milagre” para se recuperar de traumas profundos, de dores insuportáveis… Precisará de muito afeto. De uma família verdadeira. De acompanhamento psíquico sério.

Não sabem esses católicos bolsonaristas o pecado que cometem contra uma vida concreta e frágil que veio ao mundo já mergulhada numa tragédia sem nem saber.

Aos poucos e diante de fatos como estes narrado aqui, que podemos saber da dimensão desse fundamentalismo religioso ancorado num bolsonarismo lunático e que se espelha por todo o país como uma peste branca.

Estamos imersos num dos piores e mais bárbaros momentos do Brasil… Essa gente fanática não se compadece da dor de mais 100 mil mortos pelo covid 19; pelo brutal massacre de povos indígenas nesse momento; das centenas de vidas negras assassinadas nesses últimos anos; não tem a menor compaixão com mulheres estupradas… Mas se setem a vontade para não condenar pedófilos ou estupradores…

O deus dessa gente é a mais pura e cristalina ideologia. Um deus morto. Essa gente mesma o matou… O fundamentalismo é a morte de deus.

***

.

Romero Venâncio é professor do Departamento de Filosofia da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

%d blogueiros gostam disto: