Colaboradores Isabella Ingra poesia

Quatro poemas de Isabella Ingra

cracks on a dry land

Imagem: Pexels

deserto

cada um em seu deserto
num quarto deserto
num amor deserto
num país deserto
procurando a fonte
as fontes
os frontes
reza a lenda que estamos sempre
com sede.

do alto

quero cair de paraquedas
no teu peito
meio ferida, eu sei
meio atrasada também
com medo de altura
de mãos vazias
descabelada
e inteira.

mas meu plano é só o voo.

Te disse

te disse
faço um pacto
me caso, te dou um filho
cozinho e passo.

te disse
dorme tranquilo dentro de mim
eu mudo de espaço, enfrento o espelho,
paro meus vícios.

te disse
nunca mais coca cola
busco as crianças na escola
trabalho o dia inteiro
e pela noite ainda estarei contente

te disse
que era essa a nossa era
que era esse nosso esconderijo

te disse
que amaria para sempre
a gente junto
com ciúmes um do outro

te disse
tanto e não cumpri
não quis
te traí

cê disse que eu não tô nem aí
eu disse que amar não adianta

amar não adianta nada
quando você precisa
cumprir deveres, dizeres e moedas de troca.

olhai por nós

nós,
os miseráveis por dinheiro
os vencedores da vida
os imbecis de verde amarelo
os compactos
os pequenos homens brancos
os privilegiados em suas cobertas
os negligentes
os pastores
as submissas
os palestrinhas
olhai por nós,
por eles
olhai, meu Deus
pela elite tanto precisada
pelo presidente zumbi
pelas mulheres normais
olhai pelas normas
pelo correto
olhai, meu Deus
para quem pode te pagar.

***

.

Isabella Ingra (1993) é poeta, escrivinhadora de palavras, atriz quando convém, mãe e feminista. Nascida em Brasília e no mundo todo.

%d blogueiros gostam disto: