Lançamento lide liquido

Rap, amor e poesia: Wescritor lança o vídeo clipe de ‘Modificado’

Imagem: Divulgação.

Co-fundador do Selo Musical Palavrando, o artista indígena já participou do YBY Festival – 2019, 1º Festival de música indígena contemporânea, entre outros festivais, e lançou em abril de 2020 a mixtape T.R.A.P.

O artista indigena Wescritor lançou o vídeo clipe de Modificado, primeira faixa da mixtape T.R.A.P (Tem Rap Amor e Poesia). O video está disponível no YouTube e as sete músicas que integram T.R.A.P estão disponíveis nas principais plataformas digitais.

“É um amor forte se desconectando”, resume o compositor sobre o tema do videoclipe. Lançado e produzido pelo selo musical Palavrando em parceria com a Bullies Films, o clipe aborda, através de interpretações e metáforas, um jogo de um casal com interesses opostos que buscam se encontrar e não conseguem.

Segundo o cantor, produtor e compositor, a música expõe sua vulnerabilidade e verdade sentimental, que explorou durante a mixtape. “Entendendo o amor como forma de resistência, decidi expôr tudo aquilo que também relato na minha escrita”, explica Wes.

O clipe conta com a participação de Bia Giupponi e, entre danças, afagos e distanciamento, o artista coloca em versos suas confusões e desilusões amorosas de um relacionamento vai-e-vem.

Imagem: Divulgação.

Sobre T.R.A.P

T.R.A.P {Tem Rap Amor e Poesia} foi lançada em 17 de Abril de 2020 e toda a produção executiva e lançamento do projeto foi feita pelo Selo musical Independente Palavrando, fundado por Wescritor e seu irmão, Wallace Amaral, em Santos.

São sete faixas compostas pelo artista e a captação de voz da Mixtape foi feita no Pala Record’s, ‘Home Estúdio’ localizado na casa do próprio wescritor. A mixagem e masterização é de Leonardo Ost e a identidade visual do projeto tem a assinatura de Rodrigo Quevedo ”DOC”.

Wescritor. Foto: Divulgação

Sobre Wescritor

Nascido em Santos, litoral de São Paulo, o artista indígena é músico, produtor, escritor, ator e compositor. Wescritor é integrante do grupo S.O.S, junto com Bia Giupponi e Caiqueira. S.O.S {Somos O que Somos} mescla Rap e outros estilo musicais na qual contém a força a e diversidade individual dos 03 membros do grupo. Sua obra é pautada em temas como amor, questões raciais e espiritualidade. Co-fundador do Selo Musical Palavrando, participou do YBY Festival, 1º Festival de música indígena contemporânea em 2019, do evento YBY Casa Ybrida, do YBY Pocket Show no Tendal Lapa, na Arena Club em Santos em 2019 e no QC Jovem, em Guarulhos. Lançou em dezembro de 2019 o álbum Corpos Laranjas e tem divulgado sua poesia, arte e música por diferentes espaços.

%d blogueiros gostam disto: