Comportamento Instagram

‘Tentar fazer humor para não pirar’: conheça o perfil Famosos em Profissões Comuns

Foto: Divulgação/Instagram

Com 37 mil seguidores no Instagram e 84 mil no Facebook, a página Famosos em Profissões Comuns traz, com muito bom humor e ironia, o trabalho ideal para cada celebridade.  

Trazendo uma série de situações envolvendo celebridades nacionais e internacionais, e até mesmo políticos brasileiros, a página no Instagram e no Facebook Famosos em Profissões Comuns, no ar há 1 ano e 2 meses, mostra para o público, com muito bom humor e acidez, o trabalho ideal para cada celebridade, de acordo com suas características e particularidades.

Com 37 mil seguidores no Instagram e 84 mil no Facebook, a página traz nomes como o presidente Jair Bolsonaro, apontado como “piscineiro e vendedor de laranjas”, a atriz e ex-secretária especial de cultura Regina Duarte, como “empresária pecuarista da Fazenda Laranjal do Marreco” e o médico Dráuzio Varela, como um “professor de biologia aposentado”. Tudo isso carregado de muito bom humor e ironia.

Os responsáveis pelas publicações são os jornalistas Fernando Costa (31) e Leonardo Polo (29). De acordo com Costa, a ideia para a criação da página surgiu de maneira muito mais simples do que seu formato atual. “Inicialmente, apenas colocávamos a foto de um artista e associávamos a uma profissão aleatória que tivesse semelhança com a imagem. Com o tempo, fomos rebuscando o material e exercitando a criatividade, criando verdadeiras histórias para as imagens e foi aí que o boom de crescimento de público começou” revela.

O jornalista disse que, a princípio, não havia pretensões maiores com o novo projeto, mas que agora lida com mensagens de famosos que aparecem em sua página. Sobre críticas, ele afirma. “Por incrível que pareça, nenhum dos artistas que apareceu na página pintou lá para criticar. Pelo contrário! Foram só elogios. A primeira que deu as caras por lá foi a Regina Casé, que riu muito de um post que fizemos com ela e passou a curtir tudo”.

Costa comenta que, depois dela, dezenas de outros passaram a acompanhar o perfil. “Só para citar alguns que temos muito orgulho que curtem o que fazemos, estão o Jean Wyllys, Jandira Feghali, Paulo Miklos, Paulo Vieira, Thati Lopes, Ícaro Silva, Kiko Mascarenhas, Tuca Andrada e a galera influente da internet, como os meninos do Diva Depressão, Maíra Medeiros, Camila Fremder e tantos outros”.

Em relação as postagens que fazem críticas políticas, Fernando Costa afirma que foi um caminho natural. “A situação do nosso país está tão absurda que tentar fazer humor com isso é a única saída para gente não pirar. Nas nossas postagens com cunho político nós fazemos questão de demonstrar a nossa posição e no que acreditamos. É uma forma de defender as nossas causas de um jeito indireto, ironizar as figuras e situações absurdas que estão por aí e afastar aqueles seguidores que, por ventura, não entenderam o foco da página”, afirma.

“A situação do nosso país está tão absurda que tentar fazer humor com isso é a única saída para gente não pirar”.

O criador da página conta ainda que, no começo, o público estranhou a decisão da página mostrar seu posicionamento político e isso incendiou os ânimos. “Com o tempo, isso cessou e ficou com a gente (ainda bem) uma maioria gigantesca que já estava por lá e compartilha dos mesmos propósitos e ideais. Muita gente nos agradece por conseguir fazer graça e tirar algumas risadas em momentos tão complicados. Hoje, se alguém chega lá para brigar, já é recebido por quase 40 mil pessoas no Instagram e 100 mil no Facebook que já sabem que a “Famosos” tem a sua linha editorial. Nós não ofendemos ninguém nos nossos textos. Não fazemos humor de aparência física ou apelamos para o mais fácil”.

A cada temporada, os criadores da página são surpreendidos por um novo post que faz sucesso e gera um maior engajamento entre o público. A bola da vez são os posts sobre política, principalmente os que satirizam a ex-secretária especial de Cultura e o presidente eleito, assim como toda a sua família.

Fernando Costa conta ainda que o público pede que seja feito um canal no Youtube, mas segundo ele, é complicado pois os administradores moram em cidades diferentes (Belo Horizonte e São Paulo), mas que para ir além da página no Instagram e no Facebook, eles criaram o podcast “Conta Isso Direito (CID)”, que já está em sua segunda temporada, e a cada episódio, com a ajuda de ouvintes e leitores da página que participam com histórias, áudios e relatos, são debatidos um tema específico com foco no humor. O podcasts está disponível em todas as plataformas de streaming.

O destino a fez jornalista, afinal a única coisa que sabe fazer bem é contar estórias. Ela podia estar fazendo terapia para se tornar uma pessoa melhor, mas escolheu o jornalismo como divã para lidar com as aventuras e desventuras da vida. Ana Cecília (Maceió-AL) também é mestranda em Antropologia Social e tem interesse pelo estudo das dinâmicas urbanas e seus significados.

%d blogueiros gostam disto: