#indica

#indica nº 3 – Anderson Camello

Tecnicolor, dos Mutantes

Mistura baião, samba, toques caribenhos e rock… psicodelismo total! Além de possuir músicas em Francês, Inglês, Espanhol e Português. Uma obra prima da música mundial. Depois desse disco, entendi o que era ser um cidadão do mundo e a abraçar a riqueza das coisas e da arte sem ufanismo e purismos.

The King of The Delta Blues Singers – Robert Johnson

Eu tinha por volta dos 6, 7 anos de idade… sempre ia pra casa da minha avó materna, que é o lado mais musical da minha família. Lá, tinha samba, festa e meu tio que possuía um baú com vários discos. Sempre que ia por lá, mexia e remexia aquele baú. Às vezes seguindo as indicações do meu tio de um disco pra ouvir naquele dia e outras, simplesmente escolhendo algo (geralmente pela capa).

E um dia, mexendo nesse baú, achei um disco com uns desenhos na capa: um cara no violão cantando e, na contra capa, dois caras gravando. Achei legal e coloquei pra tocar. Depois disso, tudo mudou. Aquela voz enigmática e aquele violão (que eu não sabia dizer se eram dois ou um só) e um som cortante que me deixava hipnotizado: o som do slide.
Nunca mais fui o mesmo! Foi uma viagem sem volta. Robert, definitivamente, levou minha alma e fincou o blues na minha vida pra sempre.

***

Anderson Camello é cantor, compositor e slide player. Na cena de Fortaleza desde 1999, desenvolveu vários projetos sempre flertando com as várias possibilidades rítmicas da música mundial. Passando por bandas como Corpo Fechado e Vitrola São Jorge, misturando Rock com maracatu, candomblé com delta blues, samba e swing, até chegar no seu som atual. Tem quatro Ep’s lançados desde o ano de 2013. Todo o trabalho de Anderson Camello se encontra nas Plataformas de Streaming. Foto: Gabriel Yang.

%d blogueiros gostam disto: