#indica

#indica nº 2 – Regina Azevedo

Aqui estão as minhas contas – antologia poética de Adília Lopes (Bazar do Tempo, 2019). Organização Sofia de Souza Silva.

O livro faz parte da Coleção Atlântica, da Bazar do Tempo, que “busca apresentar no Brasil um panorama do melhor da poesia portuguesa”. Uma edição bonita e simples, que valoriza a poesia de Adília Lopes e traz uma ótima seleção de sua obra. Além disso, há também um ensaio interessante assinado pela organizadora Sofia de Souza Silva.

LA FEMME DE TRENTE ANS

Amarás
o meu nariz
brilhante
as minhas estrias
os meus pontos pretos
os meus textos
os meus achaques
e as minhas manias
e as minhas gatas
de solteirona
ou não me amarás

*

Meu coração está no bolso – Frank O’Hara (editora Luna Parque, 2017). Tradução de Beatriz Bastos e Paulo Henriques Britto

Conheci O’Hara através da revista Modo de Usar, e esse livro da Luna PARQUE é uma experiência, uma oportunidade de ler mais do poeta. O livro traz os poemas no original (ao fim), e os poemas traduzidos (por Beatriz Bastos e Paulo Henriques Britto).

POR QUE NÃO SOU PINTOR

Não sou pintor, e sim poeta.
Por quê? Acho que eu preferia
ser pintor, só que não sou. Bem,

por exemplo, o Mike Goldberg
está começando um quadro. Vou lá.
“Senta e bebe alguma coisa”, ele
diz. Bebo. Bebemos. Eu olho

pro quadro. “Você escreveu SARDINHAS.”
“Tinha que pôr alguma coisa ali.”
“Ah.” Os dias passam e eu
vou lá de novo. O quadro avança,
eu vou embora, e os dias vão
passando. Eu volto. O quadro está
pronto. “Cadê SARDINHAS?”
Só ficaram umas
Letras. “Era demais”, diz Mike.

Mas e eu? Um dia eu penso numa
cor: laranja. Escrevo um verso sobre
laranja. E logo é uma página
inteira de palavras, não versos.
Depois outra página. Devia
haver muito mais, não laranja, mas
palavras, sobre o horror do laranja e
da vida. Os dias passam. Está até
em prosa, sou poeta mesmo. Meu poema
está pronto, e ainda nem falei em
laranja. Doze poemas, e o nome é
LARANJAS. E um dia numa galeria
vejo o quadro do Mike: SARDINHAS.

***

Regina Azevedo é poeta. Nasceu em Natal (RN) em 2000. Publicou os livros “Das vezes que morri em você” (Jovens Escribas, 2013), “Por isso eu amo em azul intenso” (Jovens Escribas, 2015) e “Pirueta” (doburro, 2017).

%d blogueiros gostam disto: