lide liquido

“A terra tremerá como nunca tremeu antes”: Katú Mirim lança o EP “Nós”

Maraca, cocares, tambores, turbantes // A terra tremerá como nunca tremeu antes“. Este é o refrão de Aguyjevete, faixa de abertura do EP Nós, da rapper, compositora, atriz e ativista indígena Katú. Aguyjevete (que em guarani tem o significado de gratidão) foi lançada como single em 2017 e alerta sobre a necessidade de conhecer a verdadeira história e resistência do Brasil:

eu vim te apresentar a verdadeira história que eles tentam camuflar // Brasil tem genocídio, massacre, escravidão // Mas isso não aparece na sua televisão“.

Ecoando o debate sobre demarcação de terras (faixa “Nativa”), racismo e homofobia (em “Diga não”), o EP Nós procura descolonizar narrativas que perpetuam estereótipos e a própria invisibilidade indígena.

Com cinco faixas (Aguyjevete, Nativa, Avisa lá, Diga não e Na mira), o EP foi lançado na primeira semana de abril e está disponível em todas as plataformas, como Spotify, AppleMusic e Deezer. A arte da capa é assinada pelo artista e ativista dos direitos indígenas, Denilson Baniwa.

Katú

Desde 2017, Katú vem lançando, nas principais plataformas de streaming, singles como “Force”, “Xondaria” (versão de “Borders”, da cantora MIA) e “Vestido de hipocrisia”. Nesta última, a artista debate sobre o uso das indumentárias indígenas no carnaval, o que conduziu a criação da campanha #ÍndioNãoÉFantasia.

Moradora de periferia, bissexual e rapper, Katú Mirim é uma das vozes mais ativas pela causa indígena. Sua atuação como liderança ativista e como rapper a levaram a participar de festivais como Órbita, Geração 501, RedBulk Amaphiko e Teko Porã.

Katú pertence ao povo Boe Bororo, que hoje conta com uma população de cerca de 2 mil pessoas.

%d blogueiros gostam disto: