Alpendre Resenha

RESENHA – “Fazes-me falta”, de Inês Pedrosa

Por Marcos Silva – 23/3/2020

Ela é professora de História e uma mulher revolucionária; ele é um homem bem mais velho do que ela e, ao contrário, extremamente conservador. O interessante dessa relação, e bonito, é que o livro nos mostra que o amor nasce justamente dessa diferença entre as personagens, pois é nesse lugar, entre o “novo” e o “antigo”, que tal sentimento rompe o asfalto. E, além disso, dá vida às pessoas, mesmo que seja apenas depois da morte.

“Fazes-me falta” é sobre diferenças, memórias, solidão, saudade, palavras que não foram ditas e que, por isso, causam, muitas vezes, arrependimentos aos indivíduos.

Os textos/capítulos (ou falas) são intercalados e repetidos. Por exemplo, a numeração dos capítulos aparece duas vezes: no primeiro momento é a fala da mulher; no segundo, é a voz do homem.

“Fazes-me falta”, livro de Inês Pedrosa, escritora portuguesa, é um texto curto, mas, ao mesmo tempo, muito denso, porque faz com que nos reflitamos sobre muitas coisas, sobretudo sobre as fraquezas humanas e nossos medos. O livro tem momentos tão pesados que podem devastar o leitor. Particularmente, fiquei muito mal com a leitura, até mesmo devido ao momento pelo qual estamos passando, de total reclusão, quando sentimos falta não apenas de pessoas que já se foram, mas também daquelas que estão muito próximas.

O livro foi muito bem pensado, pois os textos/capítulos têm uma estrutura do gênero epistolar (textos em forma de carta). No entanto, não pode ser tomado puramente como tal gênero, pois não há datas, assinaturas ou outros dados inerentes à carta, como é possível observar em “O sofrimento do jovem Werther”, por exemplo.

Além disso, às vezes, temos a impressão de que são memórias que poderiam ter sido deixadas por ela (a personagem feminina) e com as quais ele (a personagem masculina) dialoga, uma vez que as duas personagens estão planos diferentes. E, nesse último caso, a genialidade da escritora em relação à organização textual é algo fenomenal.

É um dos livros mais mais lindos e poéticos sobre o amor, sem ser piegas, que eu já li.

No entanto, ressalto que é um livro para ser lido com parcimônia, porque a poesia, quando vem em doses monstruosas, também pode nos matar.

*

PEDROSA, Inês. Fazes-me falta. Rio de Janeiro: Editora Alfaguara, 2002.

***

.

.

Marcos Silva é doutor em Linguística pela UFPB, poeta, autor do livro Gota serena (Editora UFPB, 2019) e professor de Língua Portuguesa do IFAL – Campus Murici.

.

.

.

%d blogueiros gostam disto: