Entrevista lide liquido

Stevie Ray Vaughan, 65 anos + Entrevista com Roberto Lessa

Stevie Ray Vaughan. Reprodução.

Com uma carreira tragicamente interrompida nos anos 90, Stevie Ray Vaughan é visto como um dos guitarristas mais influentes do blues. Nascido em 3 de outubro de 1954, no Dallas, SRV teve uma intensa e breve carreira, impulsionada principalmente pela formação de sua banda SRV & Double Trouble, em 1978, e a publicação do seu álbum de estreia, Texas Flood, lançado em 1983. Texas Flood logo de cara apresenta clássicos como Pride and joy, Texas Flood, Rude Mood, Mary had a little lamb e Lenny. O álbum foi seguido por Dallas Moonlight, com David Bowie, Couldn’t Stand The Weather, Soul To Soul, Live Alive, In step, The Vaughan Brothers, The Sky Is Crying, In The Beginning, Albert King With Stevie Ray Vaughan – In Session, Live At Carnegie Hall e várias coletâneas.
Nas celebrações de 60 anos de SRV, em 2014 a gravadora Sony Music lançou caixa de 12 discos intitulada Stevie Ray Vaughan and Double Trouble: The Complete Epic Recordings Collection. No material somam-se dois discos com faixas raras, além de todo o material de estúdio e álbuns ao vivo editados, incluindo o lançamento comercial de “A Legend In The Making”, fruto de sua lendária apresentação no clube “El Mocambo”, em Toronto, em 1983.
Em 2000, o músico foi incluído postumamente no Hall of Fame of Blues e, em 2015, teve seu nome incluído no Rock and Roll Hall of Fame.

SRV. Reprodução.


Com citações diretas e indiretas de fraseados de Albert King ou mesmo de trechos de Smokestack Lightning, de Howlin’ Wolf na faixa I’m leaving you (commit a crime), o estilo musical de SRV tocar blues revelava uma verdadeira árvore de referências e influências. SRV era fortemente influenciado por nomes como Albert King, Freddie King, Albert Collins, Jimi Hendrix e mesmo Larry Davis. Não a toa é considerado um dos maiores e mais influentes guitarristas do blues e se pode destacar SRV como um dos grandes pilares da renovação que o blues experimentou na década de 80.

Roberto Lessa, guitarrista, compositor e vocalista das bandas Blues Label e Gumbo Blues, destaca como álbuns fundamentais de Stevie Ray Vaughan o disco ao vivo In the beginning e o In sessions, com Albert King. Lessa, que também é apresentador do programa de rádio Encontro com o Blues, da Rádio Universitária FM, afirma que o In the beginning foi o primeiro álbum de SRV que tomou contato e comprou. “Foi o disco que eu fiquei surpreendido com o som, com a maneira do SRV tocar guitarra. O outro álbum que também acho fundamental é o In session, com Albert King. Nesse álbum você consegue ver de onde veio o SRV. O som e a maneira dele tocar guitarra demonstra muita influência pelas frases do Albert King. No álbum é possível ouvir os dois tocando juntos e dá pra perceber em que fonte SRV bebeu”.

Perguntado sobre quais músicas que poderiam compor um “top five” do repertório de SRV, Roberto Lessa destaca Pride and joy, muito executada por guitarristas de blues; algumas versões, como, por exemplo, a versão instrumental de Little Wing, de Jimi Hendrix e a versão de Texas Flood, Rude Mood e Lenny.
Sobre a importância de SRV para o blues, Lessa afirma que o texano é um guitarrista que divide um pouco opiniões, mas também que ele foi um dos responsáveis por trazer holofotes para o blues, conseguindo trazer a atenção de um público mais jovem para o estilo. Para Lessa, os apreciadores mais tradicionalistas do blues costumam por vezes “torcer o nariz” para SRV. “Eu particularmente costumo torcer o nariz para os fans ferrenhos de SRV que às vezes somente ouvem SRV e esquecem que tem todo um universo do blues que, inclusive, SRV bebeu. São fontes que o SRV bebeu e som dele é fruto disso, dessa vivência de tanto ouvir quanto viver com os mestres do blues. E acho que essa importância dele é grande nesse sentido. De ter dado novos holofotes nos anos 80 para o blues”, afirmou.

SRV e Double Trouble. Reprodução


Entre os guitarristas contemporâneos, Lessa indica que o também texano Gary Clark Jr. é um dos músicos que procura dar nova visibilidade para o blues. “É um cara que também está fazendo algo parecido. Não sei se com tanta popularidade, mas que eu vejo que muita gente está conhecendo Gary Clark Jr e depois passa a conhecer blues. Então acho que essa também é a importância de SRV. Muita gente passou a conhecer blues a partir dele. E é bom que se expanda para outros blueseiros e não fique apenas no SRV, pensando que blues se resume apenas aquela maneira de tocar e interpretar. Ele também faz parte do blues”.

Cinco músicas do repertório de Stevie Ray Vaughan:

Pride and joy

Little Wing

Texas Flood

Rude Mood

Lenny

Sobre sousandre

Nordestino, fotógrafo e editor da Arribação.

%d blogueiros gostam disto: